O primeiro-ministro de Israel invocou a profecia bíblica, nesta quarta-feira, durante um discurso à nação no qual disse que os militares israelenses lançariam em breve a invasão terrestre de Gaza.

Numa medida que alguns analistas alertam que poderá agravar a guerra Israel-Hamas, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse que embora haja tempo para respostas depois de analisar os ataques de 7 de outubro perpetrados por terroristas do Hamas na fronteira sul de Israel, a nação deve preparar-se para o que ele chamou de batalha entre a luz e as trevas.

“Todos teremos de fornecer respostas ao que aconteceu em 7 de outubro, inclusive eu – mas apenas depois da guerra”, disse Netanyahu.

Em meio a relatos de que Israel concordou em adiar uma invasão terrestre em Gaza “por enquanto” até que os Estados Unidos possam posicionar as suas defesas aéreas, o tom sombrio de Netanyahu durante o seu discurso sugeriu que Israel poderia tomar medidas nos próximos dias.

O primeiro-ministro disse que embora o momento ainda esteja indeciso, a decisão final do governo israelense seria tomada pelo gabinete de guerra, mas recusou-se a fornecer qualquer informação adicional, segundo a Reuters .

Comparando o Hamas ao ISIS (Estado Islâmico), Netanyahu disse: “Todos os ativistas do Hamas devem morrer, acima do solo, debaixo do solo, dentro e fora de Gaza”, acrescentando que ele e outros líderes israelenses estavam trabalhando para convencer os líderes mundiais a “apoiar a nossa campanha”.

“O Hamas é o ISIS, e o ISIS é o Hamas”, acrescentou, falando em hebraico. “A nossa guerra contra o Hamas é também a guerra deles. A nossa guerra contra o Hamas é um teste para toda a humanidade.

“É uma luta entre o eixo do mal do Irã, do Hezbollah e do Hamas e o eixo da liberdade e do progresso”.

O primeiro-ministro referiu-se a Israel e aos seus aliados como “o povo da luz”.

Em Lucas 16:8 , Jesus falou do “povo da luz”: “O mestre elogiou o administrador desonesto porque ele agiu com astúcia. Pois as pessoas deste mundo são mais astutas ao lidar com a sua própria espécie do que as pessoas da luz.”

“Nós somos o povo da luz, eles são o povo das trevas e a luz triunfará sobre as trevas”, disse Netanyahu.

Ele também apelou à unidade nacional e disse que, ao fazê-lo, o povo judeu “realizará a profecia de Isaías”.

“Agora é o momento de nos unirmos com um propósito: avançar e alcançar a vitória com forças conjuntas, numa profunda crença na nossa justiça, numa profunda crença na eternidade do povo judeu”, disse Netanyahu.

“Realizaremos a profecia de Isaías. Não haverá mais roubo nas suas fronteiras e as suas portas serão de glória. Juntos lutaremos, juntos venceremos.”

Traduzida, a declaração de Netanyahu parece ser uma referência a Isaías 60:18, que diz: “Não se ouvirá mais violência em sua terra, devastação ou destruição dentro de suas fronteiras; aos teus muros chamarás Salvação, e às tuas portas, Louvor.

Nesse mesmo capítulo, apenas dois versículos anteriores ao citado por Netanyahu, está o que a maioria dos estudiosos acredita ser uma referência do Antigo Testamento ao Senhor Jesus Cristo: “Sugarás o leite das nações; amamentarás ao peito dos reis; e sabereis que eu, o Senhor, sou o vosso Salvador e o vosso Redentor, o Poderoso de Jacó”. ( Isaías 60:16 )

O Pentágono está supostamente em processo de envio de conselheiros militares e sistemas de defesa aérea dos EUA antes da esperada incursão em Gaza. Esse esforço será liderado pelo tenente-general do Corpo de Fuzileiros Navais James Glynn, que liderou operações especiais contra o Estado Islâmico no Iraque, informou o The Guardian na segunda-feira.

Folha Gospel com informações de The Christian Post

The post “Derrotar o Hamas tornará realidade a profecia de Isaías”, diz primeiro-ministro de Israel first appeared on Folha Gospel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *