O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, neste sábado (7), estar “chocado com os ataques terroristas realizados hoje contra civis em Israel”. Cerca de 2.200 foguetes do grupo militante palestino Hamas atingiram o território israelense, deixando ao menos 100 mortos e centenas de feridos.

“Fiquei chocado com os ataques terroristas realizados hoje contra civis em Israel, que causaram numerosas vítimas. Ao expressar minhas condolências aos familiares das vítimas, reafirmo meu repúdio ao terrorismo em qualquer de suas formas” disse Lula.

“O Brasil não poupará esforços para evitar a escalada do conflito, inclusive no exercício da Presidência do Conselho de Segurança da ONU. Conclamo a comunidade internacional a trabalhar para que se retomem imediatamente negociações que conduzam a uma solução ao conflito que garanta a existência de um Estado Palestino economicamente viável, convivendo pacificamente com Israel dentro de fronteiras seguras para ambos os lados”, completou o presidente.

O vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB), também repudiou os ataques.

“Repudio os ataques aéreos e terrestres, com relatos de sequestros de civis, vindos de Gaza contra o território do Estado de Israel. Os ataques devem cessar imediatamente, como pede o posicionamento do Itamaraty. A retomada das conversas pela paz na região é fundamental. Meus sentimentos aos familiares das vítimas”, escreveu.

Mais cedo, o Ministério de Relações Exteriores do Brasil emitiu uma nota dizendo que vai convocar, na qualidade de presidente do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU), uma reunião emergencial para tratar do conflito entre Hamas e Israel.

O governo brasileiro condenou a série de bombardeios realizados em Israel a partir da Faixa de Gaza. O Itamaraty indica que não há, até o momento, notícias de vítimas entre a comunidade brasileira na região.

“Não há justificativa para o recurso à violência, sobretudo contra civis, o governo brasileiro exorta todas as partes a exercerem máxima contenção a fim de evitar a escalada da situação”, diz a nota.

Ao expressar condolências às famílias das vítimas e solidariedade ao povo israelense, a pasta lamenta que o ataque tenha ocorrido no 30º aniversário dos Acordos de Paz de Oslo.

Segundo o posicionamento, o governo brasileiro “reitera seu compromisso com a solução de dois Estados, com Palestina e Israel convivendo em paz e segurança, dentro de fronteiras mutuamente acordadas e internacionalmente reconhecidas”.

“Reafirma, ainda, que a mera gestão do conflito não constitui alternativa viável para o encaminhamento da questão israel-palestina, sendo urgente a retomada das negociações de paz”, completa.

EUA condena ataques “horríveis” e manifesta apoio a Israel

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, condenou, por meio de nota emitida neste sábado (7), os “horríveis” ataques do Hamas. Em sua declaração, ainda defendeu que Israel tem direito de se defender.

“Os EUA condenam este terrível ataque contra Israel perpetrado por terroristas do Hamas. Deixei claro ao primeiro-ministro Netanyahu que estamos prontos a oferecer todos os meios apropriados de apoio ao governo e ao povo de Israel”, indicou.

“O terrorismo nunca é justificado. Israel tem o direito de defender a si mesmo e ao seu povo”, completou.

Biden conversou com o primeiro-ministro israelense neste sábado. Ele classificou o apoio americano à defesa de Israel como “sólido e inabalável”.

Segundo a declaração, a equipe do presidente americano acompanha de perto a situação no Oriente Médio e permanecerá em contato “estreito” com o premiê Benjamin Netanyahu.

A minha equipe e eu estamos acompanhando esta situação de perto e continuarei em contato estreito com o primeiro-ministro Netanyahu.

“Jill [Biden] e eu mantemos em nossas orações todas as famílias que foram feridas por esta violência. Estamos com o coração partido pelas vidas que foram tragicamente interrompidas e esperamos uma recuperação rápida para todos aqueles que foram feridos”, completou.

A jornalista Daniela Kresch, afirmou em entrevista à CNN neste sábado, direto de Tel Aviv, em Israel, que os ataques do Hamas deve promover a união entre os líderes.

“O presidente americano tá bastante melindrado com essa tentativa de reforma judiciária que o Netanyahu quer fazer em Israel. Mas certamente isso tudo vai ser colocado de lado neste momento, para pensar na segurança de Israel”, disse.

As mudanças propostas por Netanyahu causaram crise em Israel e dividiram a sociedade no país. Além disso, impactaram a economia israelense e levaram preocupação a aliados do Ocidente.

Kresch destacou, contudo, que as diferenças entre os líderes devem ser deixadas de lado apenas momentaneamente. “Não vai ser uma aproximação de camaradagem”, apontou.

Fonte: CNN

The post Brasil repudia terrorismo do Hamas e EUA manifesta apoio a Israel first appeared on Folha Gospel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *