Avô de bebê levado de maternidade agradece a Deus após criança ser achada: "Ele é fiel"

O avô do bebê que foi sequestrado de maternidade no Rio de Janeiro agradeceu a Deus após a criança ser encontrada e devolvida aos pais, na manhã desta quarta-feira (1).

O recém-nascido Ravi Cunha foi levado da Maternidade Municipal Maria Amélia Buarque de Hollanda, no centro do Rio de Janeiro, na madrugada de hoje. 

O avô paterno de Ravi, Davi Figueira, estava ao vivo no Bom Dia Rio quando recebeu a notícia por telefone de que o neto havia sido encontrado.

Muito emocionado, Davi se ajoelhou no chão em frente a maternidade, e de braços levantados, louvou a Deus: “Acharam! Aleluia! Obrigado, Senhor, tu és fiel. Tu nunca falha, Pai. Obrigado, meu Deus!”. E acrescentou: “Muito obrigada a todos que oraram”. 

Ao ouvirem a boa notícia, funcionários do hospital saíram nas varandas e aplaudiram, em comemoração.

O desaparecimento


A mãe Nívea reencontra Ravi após o sequestro. (Foto: Reprodução/TV Globo).

O menino Ravi foi sequestrado da enfermaria, no 3º andar da maternidade, enquanto a mãe, Nívea Maria, e a avó, Patrícia, cochilavam. Ao acordar, a avó notou o sumiço do bebê.

“O Ravi tinha acabado de ser amamentado, e a minha esposa tinha trocado a fralda. Ela o colocou no berço ao lado da Nívea, e parece que foi algo de instantes. A minha esposa e a Nívea tiveram um sono profundo. Vinte minutos depois, quando [a esposa] acordou para olhar o Ravi, ele não estava mais no cestinho. Imediatamente, a minha esposa procurou saber com as outras companheiras do quarto se alguém tinha pegado ele para acalmá-lo, mas não. Minha esposa entrou em desespero, foi ao posto de enfermagem, e detectaram o sumiço”, contou Davi.

Após uma denúncia anônima, o recém nascido foi encontrado no início da manhã de hoje por policiais do Comando de Polícia Pacificadora.

Cauane Malaquias da Costa, de 19 anos, foi presa após ser flagrada com Ravi em sua casa, no Morro do Borel, a 10 km da maternidade.

Imagens das câmeras de segurança da unidade de saúde mostram a jovem andando pelos corredores com uma bolsa e uma sacola.

A direção do hospital acredita que Cauane tenha colocado Ravi na bolsa e saído do local sem ser notada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *