Abraão e Sara: Todo o bem que foi feito

…e Avraham veio elogiar Sara e chorar por ela. E Abraão levantou-se de diante de seus mortos e falou aos filhos de Hete, dizendo: “Sou estrangeiro e habitante convosco. Dê-me consigo os bens funerários, para que eu possa enterrar meus mortos diante de mim.” (Bereshit 23:3-4) (Gênesis 23:3-4)

Elogiar Sara e chorar por ela: O relato da morte de Sara foi justaposto à amarração de Yitzchok [Isaque] porque, como resultado da notícia da “amarração”, de que seu filho estava preparado para o massacre e quase foi massacrado, sua alma voou para fora dela, e ela morreu. – Rashi.

Avraham Avinu [Abraão, nosso pai] passou por dez grandes testes em sua vida e provavelmente milhões de microtestes também. Quase todos concordam, no entanto, que o auge das alturas, o teste de todos os testes, foi quando Avraham foi instruído a trazer seu filho, seu único filho, o filho que ele amava, Yitzchok, para ser trazido para uma oferenda no Akeida. No entanto, Rabeinu Yona considera a compra de um cemitério para Sarah como o décimo teste. Como algo pode ser um teste depois do Akeida [Sacrifício de Isaque}?

Há pouco mais de uma semana, fui convidado para falar em uma reunião de Rabbanim locais que estavam se reunindo para dar apoio e incentivo ao promotor público do condado que estava concorrendo às eleições, Sr. Tom Walsh. Ele ficou visivelmente abalado porque tinha assumido uma posição de princípio a favor de um judeu que algumas outras autoridades locais queriam desesperadamente fazer de exemplo. Desde que tomou a sua decisão impopular, ele e o seu pessoal foram sujeitos a intimidações e ameaças. Tudo isso era muito novo e desconfortável para ele. Acho que me pediram para falar porque sentiram que eu poderia me relacionar melhor com esse velho irlandês, com minha formação totalmente americana. É útil de vez em quando.

Eu disse a ele: “Tom, quero falar uma língua que não acho que os Rabanim daqui entenderão, mas você entenderá. Gostaria de falar sobre um dos meus maiores heróis. Ele era mais famoso pelo que não fez. Na virada do século, a Sport Illustrated o coroou como o atleta do século. Ele teve desproporcionalmente mais sucesso em seu jogo do que qualquer outro atleta em seu esporte. Um menino judeu, arremessador de beisebol do Brooklyn e Los Angeles Dodgers, Sandy Koufax. Em 1965 ele não arremessou no primeiro jogo da série mundial que caiu no dia mais sagrado, Yom Kippur.

Apesar de todas as suas conquistas atléticas, quando você o procura na Wikipedia já na 2ª linha está escrito que ele não arremessou no primeiro jogo da série mundial em 1965 porque caiu no Yom Kippur. Seu comportamento enviou uma onda de choque pela espinha do povo judeu e de todo o mundo. Ele transmitiu uma mensagem: “Há algo mais importante que o beisebol”. Eu também era um aspirante a arremessador de beisebol e isso mexeu comigo por muito tempo e fez uma enorme diferença em minha vida. Você só pode imaginar a resistência e a pressão que ele recebeu dos companheiros de equipe, da administração e dos torcedores. Algumas pessoas, diz-nos o Talmud, adquirem o seu mundo inteiro num só movimento. Não sei o que mais ele fez da vida, mas esse único feito ficará marcado para sempre.

Sr. Walsh, Tom, ao assumir uma postura de princípios e fazer o que é justo e certo, você está agora enfrentando as pedras e as flechas da sorte escandalosa e eu sei que não é fácil. O que você fez causou uma onda de choque em todo o condado de Rockland e transmitiu a mensagem de que “há algo mais importante do que a política”. Algumas pessoas ganham o mundo inteiro com um só movimento. Quero que me faça um favor, Sr. Walsh: por favor, não se arrependa nem por um momento do que fez. Você tem um diamante gigante. Não tem preço. Quanto mais você luta por causa do que fez, mais valioso o diamante se torna. Você tem algo mais do que o endosso desses Rabanim e da comunidade judaica. Você tem uma bênção do Criador do Céu e da Terra!”

Por que pedi a ele para não se arrepender do que fez? O Rambam escreve que assim como alguém pode apagar um pecado com arrependimento, também uma pessoa pode apagar uma mitsvá com arrependimento. Certa vez, um rico empresário me disse que conhece alguém que doou dezenas de milhões de dólares para Tzedaka [caridade] e depois sua sorte mudou. Ele ouviu uma vozinha cantando em sua cabeça dizendo: “Se você não tivesse doado todo esse dinheiro, você teria muito agora!” Ele gritou para aquela voz: “QUIETO!” Ele nunca pensou mais nisso. Isso não traria o seu dinheiro de volta, mas poderia apagar o mérito de tudo o que ele conquistou. Foi assim que Avraham perdeu Sarah por causa da Akeida, Rashi nos conta. Ele teve que dizer àquela voz cantando em sua cabeça: “QUIETO!” A tristeza não trará Sarah de volta e o arrependimento poderá desfazer todo o bem que foi feito!

Tradução: Mário Moreno

Rav. Mário Moreno é fundador e líder do Ministério Profético Shema Israel e da Congregação Judaico Messiânica Shema Israel na cidade de Votorantim. Escritor, autor de diversas obras, tradutor da Brit Hadasha – Novo Testamento e conferencista atuando na área de Restauração da Noiva.

*O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Nunca estamos sozinhos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *